Museu Po.ro.s., Portugal

Arqueóloga Cris Amarante no Museu Po.ro.s., Portugal

Hoje te convidamos a conhecer o Museu Po.ro.s: Museu Portugal Romano em Sicó. Vamos juntos?

O Museu Po.ro.s fica só a 3 quilômetros das Ruínas Romanas de Conimbriga. Eu recomendo que você primeiro visite as Ruínas e depois venha ao Po.ro.s., pois o museu amplia o conhecimento adquirido nas Ruínas. 

Ele apresenta recursos visuais, auditivos e de informática bastante interativos, além de oferecer uma experiência que engloba os 5 sentidos. Logo no início uma romana começa a nos conduzir no espaço, e somos até apresentados aos Imperadores Romanos. E depois, você entra em um maravilhoso, incrível túnel  do tempo.

Há um espaço chamado Sala da Guerra. Nela, o visitante se sente como que em uma “tartaruga romana”, que é uma antiga tática romana de guerra: vários soldados juntos com seus escudos formam uma figura no formato de uma tartaruga. 

Uma das atrações mais interessantes do museu: através de recursos tecnológicos de realidade virtual, é possível o visitante vestir um soldado romano! Ele escolhe a couraça, a bota, o capacete, o escudo, a espada…

No Po.ro.s , há também a seção das Ruínas de Conimbriga, com reprodução de artefatos e muitas explicações sobre o assunto. Por isso, reforçamos que é interessante visitar as Ruínas primeiro: porque no museu, você revisará o aprendizado das Ruínas, mas de uma forma mais didática e organizada.

Há até uma seção sobre a vida íntima dos romanos – muito peculiar e curioso! Os homens e mulheres eram muito liberais sexualmente; não existiam preconceitos sexuais. E o museu criou um recurso tecnológico para simular uma “espiada”: o visitante olha em um buraco de fechadura para ver cenas sexuais. Era muito comum que nas casas tivessem mosaicos e painéis pintados à mão com cenas de pessoas fazendo sexo em diferentes posições. 

Uma das partes mais impressionantes do museu é a reprodução do espaço de uma terma. Incrível como os romanos e romanas levavam ao pé da letra a ideia “mente sã, corpo são”. Quando você olha as ruínas de uma terma, vê um monte de “pedrinhas” e fala: “Não tô entendendo nada!” Mas no museu você fala: “Aaahh! Era assim uma terma! Então aquele monte de “pedrinha” junta-se como um “lego” na cabeça do visitante e passa a fazer todo sentido. As termas romanas tinham água quente, água fria, água morna, vapor… E pensar que isso tudo foi feito 2 mil anos atrás com uma tecnologia extremamente avançada para a época!

 

Aqui encerra nossa “visita” ao Museu Po.ro.s;. espero que você tenha gostado bastante! Claro que não falamos tudo que há no museu, mas esperamos ter despertado em você o desejo de conhecê-lo! Leia também o artigo sobre as Ruínas Romanas de Conimbriga e o sobre o Museu Monográfico de Conimbriga, e você terá uma tríade completa. Até o próximo artigo!

 

Texto: Cris Amarante & Débora Blair

Foto no topo: Arqueóloga Cris Amarante no Museu Po.ro.s., Portugal

Arqueóloga Cris Amarante no Museu Po.ro.s., em Portugal
Arqueóloga Cris Amarante no Museu Po.ro.s., em Portugal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *