O que é Arqueologia Pré-Histórica? – Parte 2

O que é arqueologia pré-histórica? - Parte 2

Alguns dias atrás, publicamos aqui no blog um artigo explicando o que é arqueologia pré-histórica e quais os materiais desse período; falamos especialmente sobre os líticos, que são as pedras lascadas e as polidas. E agora, falaremos sobre um outro material que diz muito sobre a pré-história do Brasil: as cerâmicas. 

Cerâmicas são potes feitos de barro. Ao contrário dos nossos tempos em que tais potes são feitos em equipamentos chamados tornos, na pré-história eles eram feitos à mão. Eles eram moldados com uma espécie de rolete, depois alisados, e então cozidos no fogo em fornos fechados. Depois de cozida, algumas vezes a cerâmica recebia desenhos. 

Os diferentes tipos existentes no Brasil representam diferentes culturas. Logo, cerâmicas semelhantes pertencem a culturas semelhantes, que têm formas parecidas de sociedade. Em geral, os nomes delas são determinados pelos nomes dos troncos linguísticos das tribos. Exemplos disso são as cerâmicas tupi e marajoara.

O estudo destes artefatos nas diversas regiões onde são encontradas nos ajuda a entender o deslocamento dos grupos que as produziam. Em alguns lugares, elas são datadas de um período, e em outros lugares, de outro. Então, é traçada uma possível rota pela qual esses humanos passaram.

As cerâmicas são variadas em formas, decoração e textura, e cada característica ajuda a determinar a qual grupo elas pertenciam. Galhos de árvores ou até mesmo unhas eram usados para criar marquinhas e desenhos sequenciados nas cerâmicas. 

Pelas bordas da cerâmica é possível reconstituí-la completamente através de um desenho. Alguns arqueólogos e outros profissionais especializados fazem esses desenhos à mão, outros direto no computador. 

Uma vez definidos os tamanhos e formas das cerâmicas, é possível estudar suas funções. Algumas eram usadas para guardar grãos, outras água. Além disso, eram utilizadas também como urnas funerárias para enterramentos primários e secundários. Nos primários, os mortos eram colocados inteiros dentro da urna em posição fetal; nos secundários, as pessoas eram enterradas normalmente, e quando só restavam as ossadas, esses ossos eram colocados em uma urna funerária menor.

Quanto à escavação das urnas, geralmente, quando encontradas, elas não são processadas no próprio local da escavação, e sim em laboratório. Então é feita a datação e todos os procedimentos necessários.

 

Esperamos que você tenha curtido aprender um pouco mais sobre o que é arqueologia pré-histórica, e mais especificamente, sobre as cerâmicas!

O que é arqueologia pré-histórica? - Parte 02
Cerâmica antiga. Fonte: Unsplash.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *