Ruínas Romanas de Conimbriga, Portugal

Ruínas Romanas de Conimbriga, Portugal

A cidade de Conimbriga é habitada desde a idade do bronze. Não se sabe ao certo o motivo, mas o que é relativo a esse período anterior aos Romanos é chamado de indígena. Bem, mas vamos ao assunto que mais interessa: você sabia da existência das Ruínas Romanas de Conimbriga, Portugal? Descubra mais aqui neste artigo!

Lá no século I antes de Cristo, os Romanos começaram a habitar Conimbriga, mas no século I ela sofreu uma grande remodelação. O imperador romano Augusto mandou construir o fórum. Então, aquele projeto de cidade começa a virar cidade propriamente dita, com as primeiras termas. Ela continua a ser habitada do século II até o século III, até que no final do século III Conimbriga começa a sofrer com muitas invasões de povos não romanos, chamados nos livros de história de povos bárbaros. 

E então, ela sofreu outras adaptações e os romanos construíram uma muralha, e por conta dela muitos prédios foram demolidos. A muralha tinha como objetivo proteger a cidade e diminuir o perímetro dela.

Conimbriga segue até o século V, VI, mas no período do século VI já se registram abandonos da cidade, fato observado nas campanhas arqueológicas. Nos anos 1000, já não havia mais pessoas morando ali. A cidade estava totalmente abandonada. Ela é conhecida desde o século XVI, mas as pesquisas arqueológicas só começaram no século XIX, no início dos trabalhos arqueológicos em Portugal.

Termas de Augusto

As Termas de Augusto são um lugar com uma vista maravilhosa, em uma localização privilegiada. No meio do lugar onde ficavam as termas tinha uma piscina de água morna e uma de água quente. E, pasmem vocês: havia um lugar parecido com o que hoje chamamos de sauna, onde as pessoas se aqueciam com o vapor para suar. Havia até um lugar para realizar eventos como palestras. Você acredita nisso? Os Romanos pensavam em tudo. 

Bairro Indígena

As Ruínas Romanas de Conimbriga também englobam um espaço com vestígios arqueológicos superinteressantes. Neste espaço, os arqueólogos escolheram uma excelente forma de conversação e preservação desses vestígios; um trabalho excelente, de fato. Esses vestígios são um raro testemunho de construções da idade do ferro e tem datação por volta do século IV a.C. Estamos falando do Bairro Indígena, que é a forma como chamam os vestígios arqueológicos pré-romanos.

Fórum Romano

Vamos falar agora do Fórum Romano. Ele era o principal edifício de uma cidade Romana. Por que? Porque neste local havia um templo para a divinização de imperadores. Na frente do Fórum Romano das Ruínas Romanas de Conimbriga tinha uma praça enorme. No Museu de Conimbriga há uma maquete que ajuda muito a entender a construção inteira. 

O último e mais impressionante local é a Casa dos Repuxos: naquela época, os frequentadores desse lugar eram pessoas de muito dinheiro. É a casa que mais possui mosaicos preservados das Ruínas Romanas de Conimbriga. Os profissionais de conservação e preservação colocaram uma cobertura na casa em 1991 para protegê-la, juntamente com seus mosaicos. As escavações neste local não terminaram até hoje, de tanta coisa que há para ser descoberta!

 

Espero que você tenha gostado de aprender um pouco sobre as Ruínas Romanas de Conimbriga! Em breve, acompanhe nossos conteúdos sobre o Museu Monográfico de Conimbriga, o Museu Poros, entre outros!

 

Texto: Débora Blair e Cris Amarante

Foto no topo: Ruínas Romanas de Conimbriga, Portugal

Ruínas Romanas de Conimbriga, Portugal
Ruínas Romanas de Conimbriga, Portugal

2 Comments

  1. Glauciane Castro Reis Carvalho

    Muito interessante! Vontade de conhecer!

  2. […] Conimbriga. Aliás, por que este nome “monográfico”? Por que ele fala só sobre um assunto: as ruínas da cidade romana de Conimbriga, próxima a Coimbra, norte de Portugal. Se você tiver oportunidade, visite esse local […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *